Reino Protista

Filo Dinophyta ou Dinoflagelados

 

Juntamente com os protozoários ciliados e com os Apicomplexa, os dinoflagelados constituem o grupo dos Alveolata, que são caracterizados pela presença de vesículas sob a membrana plasmática.

Os Dinophyta (dinoflagelados) são em sua maioria seres unicelulares e biflagelados, sendo que a disposição de seus dois flagelos é característica do grupo. Um dos flagelos encontra-se orientado transversalmente, inserido em um sulco equatorial que circunda toda a célula partindo sempre em direção ao lado esquerdo. O segundo flagelo se encontra em posição longitudinal e está em sulco disposto verticalmente. Os dinoflagelados podem ainda apresentar tecas que são formadas por placas rígidas de celulose, sendo que estas placas se encontram contidas em vesículas localizadas abaixo da membrana plasmática. O número e disposição das placas são importantes para a identificação taxonômica. Existem dinoflagelados imóveis que produzem células flageladas apenas durante o processo de reprodução sexuada, e outros sem placas celulósicas os quais são chamados de zooxantelas e geralmente ocorrem em simbiose com poríferos, cnidários, moluscos e outros protistas.

Sob condições desfavoráveis os dinoflagelados reproduzem-se sexuadamente produzindo cistos de resistência que são transportados por correntes oceânicas no fundo do mar para outras localidades. Tais cistos originam novas populações sob condições ideais, o que pode acabar por gerar o fenômeno da maré vermelha em ambientes eutrofizados.

Os dinoflagelados apresentam como carboidrato de reserva o amido e como pigmentos fotossintetizantes as clorofilas a e c e carotenóides, entretanto, alguns seres fotossintetizantes também podem absorver partículas orgânicas e cerca da metade dos dinoflagelados não possui aparato fotossintetizante, sendo puramente heterotróficos.

Voltar